Quinta, 15:30h em Gramado…..

Quinta, 15:30h em Gramado…..

Em uma tarde ensolarada de quinta-feira às 15h30min, o que será que rola em Gramado?
Vem comigo em mais esse vídeo da Gramado Experience e descubra mais essa experiência inigualável que só Gramado lhe proporciona……

https://www.youtube.com/watch?v=vgsb3U7Mqwk&feature=youtu.be

Vallontano Vinhos Nobres

Adepta da filosofia terroirista, a Vallontano Vinhos Nobres exprime, em cada uma das garrafas de vinhos e espumantes elaboradas, um profundo respeito à natureza, ao solo, ao clima e à cultura local.

Localizada no Vale dos Vinhedos, Serra Gaúcha, a Vallontano propõe-se, desde 1999, a elaborar vinhos finos de qualidade superior. Hoje elabora aproximadamente 60 mil garrafas de vinhos finos e espumantes por ano. Esses vinhos, elaborados com arte, profissionalismo e amor dedicados à vitivinicultura, são reflexos do solo, clima e tratos culturais de seus vinhedos. É o vinho brasileiro em seu melhor – com identidade própria – primando pela elegância, refinamento e extensa capacidade de harmonizar com diversos tipos de comida.

O enólogo da Vallontano, Luís Henrique Zanini, foi buscar inspiração para suas saborosas criações em um dos mais fervorosos defensores do terroir – o mítico Domaine de Montille, na Borgonha – onde trabalhou e aprendeu a expressar a individualidade de cada microclima. A proposta da Vallontano é a de trabalhar com métodos não intervencionistas preservando as características conferidas pelo solo e pelo clima de seus vinhedos, respeitando assim seu terroir. Prima-se pela técnica e pelo conhecimento em detrimento da tecnologia.

Segundo o enólogo da Vallontano, Luís Henrique Zanini: “Vinho é arte, é poesia, é expressão da personalidade. Para ser um vinhateiro é preciso sensibilidade, é preciso humanidade. De nada adianta mestrados e doutorados, se perdermos nossa identidade. É preciso contato físico com os vinhedos, com a uva, é preciso literalmente colocar as mãos no vinho. Devemos, sobretudo, diferenciar técnica de tecnologia. A primeira é o entendimento do processo como um meio de transformação da natureza, já a tecnologia pode ser comprada e aplicada. O meu medo é que o excesso disto padronize os vinhos do mundo inteiro. Para mim o vinho continua sendo, como entendia Galileu Galilei, “humor líquido e luz”!

Descubra mais sobre a Vallontano no site: http://www.vallontano.com.br/

Deixe um comentário